Monday, August 10, 2015

Só posso imaginar o que sentes.
E imaginando, sinto.
Talvez não o mesmo.
Certamente... não o mesmo.
Mas sinto, e sinto igual.
É diferente. Não é o mesmo.
Ainda assim, sinto tanto.
E sinto com tanta intensidade que me atrevo a afirmar que sinto o mesmo.
Sinto o mesmo sentimento.
E é assim, sinto tão forte que se torna difícil manter este sentimento dentro desta caixa de ossos.
Sinto tanto, bate forte, que sinto o peito rebentar.
Só posso imaginar o que sentes.
E imaginando, sinto.
Certamente... não o mesmo.
Mas sinto, e sinto igual.
Sinto a mesma força.

Friday, June 12, 2015

Sinto...

Sinto falta do teu abraço, 
do teu sorriso, 
do teu calor.

Queria tanto agora sentir 
o teu cheiro, 
o teu conforto, 
e deixar-me envolver 
no teu corpo 
até sentir 
a tua alma, 
a tua essência, 
e deixar-me estar 
até que o espaço entre nós 
desapareça.

E tudo isto sinto... sem saber sentir.

Monday, November 14, 2011

Amor...

Não são as formas nem as cores,
não são os sons nem os sabores,
nem os abraços e suaves toques,
ou as habituais palavras doces.

Não são os beijos ardentes de desejos,
contidos nos momentos de ausências,
nem os prazeres desfeitos em gemidos,
nem os movimentos sentidos de carências.

Não são as palavras amigas e sentidas,
nem os gestos de conforto e de carinho,
não são os olhares cúmplices que partilhas,
nem as lágrimas por vezes vertidas.

São todo um conjunto de coisas
imperceptíveis e inimagináveis,
invisíveis e indeterminadas,
que me permitem dizer-te…

…que te amo!




.

Thursday, February 17, 2011

Contigo...

Logo... logo mais descansamos,
deitamo-nos lado a lado,
e sonhamos juntos.

Olhamo-nos nos olhos,
e penetramos nas nossas almas,
no nosso ser profundo.

Aspiramos os nossos cheiros,
exalamos o aroma da nossa união,
e inspiramos os nossos desejos.

Beijamo-nos e abraçamo-nos,
como se amanhã fosse o vazio,
e hoje uma despedida.

Contemplanos os nossos corpos,
sentimos a pele, contornamos os corpos,
e exercemos a nossa luxúria.

Voltamos a sonhar, acordados,
abraçados, exaustos mas saciados,
na expectativa do amanhã!

E descansamos, recatados, sonhadores.
Deitamo-nos lado a lado,
e vivemos o sonho.

Tuesday, December 28, 2010

A nossa casa, Amor, a nossa casa!

Não sei aonde os sonhos nos levam... nem que fantasias constroiem...
...mas sei onde me sinto bem e quero estar todos os dias!



A nossa casa

A nossa casa, Amor, a nossa casa!
Onte está ela, Amor, que não a vejo?
Na minha doida fantasia em brasa
Costrói-a, num instante, o meu desejo!

Onde está ela, Amor, a nossa casa,
O bem que neste mundo mais invejo?
O brando ninho aonde o nosso beijo
Será mais puro e doce que uma asa?

Sonho... que eu e tu, dois pobrezinhos,
Andamos de mãos dadas, nos caminhos
Duma terra de rosas, num jardim,

Num país de ilusão que nunca vi...
E que eu moro - tão bom! - dentro de ti
E tu, ó meu Amor, dentro de mim...

                          Florbela Espanca
Eu já encontrei a minha casa!
.

Friday, October 1, 2010

Ciclos Desejados

E no auge do cansaço, na ausência do abraço e no desejo da luxúria… eis que não te encontro.

E então vem a espera, o aguardar paciente pela hora da chegada, do aperto caloroso e do beijo húmido e arrebatador, quente, excitante. Esquece-se do amanhã, não se recorda do ontem e o hoje é intenso. É o momento em que se misturam os corpos e mais não se sabe o que é de quem.

E por fim, a calma, o descanso dos saciados, o contentamento dos sentidos e as vontades tranquilizadas.
Depois, vem a partilha do dia, as histórias e contos do que passou ou podia ter sido, do que se supõe ser ou se imagina que é, sem qualquer importância senão pela simples troca de ideias e partilha dos momentos vividos à parte, e do que se deseja, dos planos e das graças, vêem as brincadeiras, risos e sorrisos, e fala-se do que se sente, do que se deseja, do que se planeia, do que se sonha.

Depois… bem, depois vem tudo outra vez… à descoberta de uma nova partilha...


Wednesday, September 29, 2010

Imagens

Estive a rever algumas fotos. Das últimas férias… de tempos mais passados… uns mais perto e outros mais longe… não muito longe porque, bem… ainda somos recentes.

Na revisão das fotos, com o intuito de as seleccionar e organizar, apagar as que não interessam ou que, de alguma forma, são repetidas, guardar as que realmente importam, seja porque motivo for… acabo por me perder no teu olhar. Não só tenho já alguma dificuldade em seleccionar uma fotografia de 10 tiradas em sequencia… qual delas a que deve vingar e permanecer como a eleita e representativa da tua beleza… como ainda por cima cada uma delas guarda em si algo de diferente, e irrepetível em todas as restantes. Melhor seria se pudesse reunir um pouco de todas elas numa única fotografia, encerrando nesse instante todos os pensamentos e sentimentos que as acompanham… mas tal não é possível e, provavelmente, nem desejável.

E assim, fico perdido na contemplação dos teus retratos, qual prova de selecção da eleita, ou, vá… que até estou bem-disposto, das duas ou três eleitas. Não é possível… perco-me no tempo, este escorrega-me pelos olhos, pela lembrança dos instantes partilhados e pelos sonhos vividos. E deste modo acabo por adiar, mais uma vez, a organização das inúmeras fotografias tuas, dos teus olhares, das tuas feições, dos teus gestos, dos teus sorrisos, do teu amor… como se isso alguma vez devesse ser organizado e compartimentado.

Ficam aqui e ali, espalhadas nos diversos dispositivos e pastas, e que vou encontrando a cada vez que me decido limpar e organizar… e para me deixar levar mais uma vez… e outra vez… e a cada momento deixar-me invadir pelo mesmo sentimento que me conquistou desde a primeira vez…

Monday, July 12, 2010

Brisa de palavras...

.
Se eu te disser hoje o que não te disse ontem...
Se te disser baixinho, o suficiente para ouvires...
Só tu e mais ninguém!

Não que seja um segredo, mas apenas porque é só teu...
São apenas tuas as palavras que te profirei em tom de sussuro...
És a mestre dessas palavras!

Palavras em tom brando, quase inaudíveis, assim como uma leve brisa...
Sairão das cordas vocais e penetrarão no teu delicado ouvido...
Assim de levezinho!

Serão palavras doces, de desejo e amor, mas sem tempo...
Que o tempo é limitado, e estas palavras eternas...
Não se podem confinar!

São palavras que mal se escutam, mas se lhes sente a passagem...
elas estão lá, sempre e onde estiveres, para serem sentidas no peito...
Lugar de conforto e de vida!

Guarda-as, pois são tuas essas palavras, todas as palavras...
Usa-as, gasta-as, vive-as sem receios, pois nunca se gastam...
São de fonte inesgotável!

São a representação dos sentimentos, dos desejos...
São os amores antigos, do hoje, e do amanhã...
São o que te desejo!

Se eu te disser hoje o que não te disse ontem...
Se te falar deste amor sem dimensão nem tempo......
Devolves-me um teu sorriso?



.

Saturday, June 5, 2010

...a thousand times



I could hug you one thousand times

it wouldn´t be enough
I could kiss you one thousand times
still wouldn´t be enough
I could love you one thousand times
and still be short of completeness

Just let me be with you
'till the end of time
while our love smiles
and survives the vicious times
........ No matter how many thousands more
I will always find new reasons to love you
.....and cherish the old ones with tender
And one day, way ahead of us
we'll look back and see our life
like a black and white movie
burned out from use and time
and smile of the kisses and hugs
and looking forward to our continuum



...a thousand kisses!



.

Sunday, May 2, 2010

I'll see you again...


If I had to wait more time
More time to be with you, here
I Would gladly wait, if I had…
Because it’s everything I was looking for!

If I couldn´t feel your touch
And still you were apart from me
I’d be wishing you were here
To be everything that I'd be looking for

I don't wanna forget the present is a gift
And I don't wanna take for granted the time you may have here with me
'Cause I know so well another day is not really guaranteed


But every time I hold you
I hold you like it’s the first time
Every time I kiss you
I Kiss you like I’ve never kissed you before
Every time I touch you
I touch you like it’s the first time
I Promise that I'll love you
tomorrow and all times like the first day again

How many really know what love is?
Millions never will
Do you know until you lose it or just after you’ve found it?

That it's everything that we are looking for
When I wake up in the morning
You're beside me
I'm thankful that I found you


I don't wanna forget the present is a gift
And I don't wanna take for granted the time you may have here with me
But being with you is rediscovering love, and that’s guaranteed


So every time I hold you
I feel there is no more time
Every time I kiss you
I feel alive and so young again
(and I feel it every time)
Every time I touch you
(see, it’s like I’ve never aged)
I touch you like our first time
(and I rediscover you at every new touch)
I promise that I'll love you
(because it’s so naturally right)
And at all times, as if we’ve just started loving again
(like hope and dreams and love and desire never die)





PS: YES!



.

Friday, March 19, 2010

Missing you....


I'm lying down and I'm dreaming,
dreaming of things I cannot touch,
but of things I can feel, deeply feel.


I dream of your smile and feel the warmth,
I remember your laughter that shines my world,
I close my eyes and let my body slide,
and I fly away from the bed where I'm lying,
just to be in yours, right next to your soul!


I dream of a beautiful dance of me and you,
I dream of a walk on the sand by the waving sea,
I dream of your touch and the sound of your words,
and I feel the love and the will to be with you.


All the memories I keep in my heart,
are the fuel that makes it beat, beat, beat
as a mating call to be right next to yours.



.

Saturday, March 13, 2010

Love...


...is not when you think, wish, dream or believe.


It's rather something you feel so naturally and withing your deepest being, that nothing else would make any sense at all.



I miss you!

Tuesday, March 9, 2010

Why

There are things we do because we think...
...and there are those we do because we feel... and know!

I've done so many things because I thought.
I still do!


But there's one thing I know... and feel.



.

Monday, March 8, 2010

Sometimes...

Sometimes I just don´t find the words...
Sometimes I'm just too stubborn...

Sometimes...
...sometimes I'm just too stupid to see what's in front of me,
I shut my eyes and hide inside an imaginary shell...
...only so hard to get through!

Sometimes...
...the only words that occur to me are simple and common...

...but they do mean so much!



Sunday, February 28, 2010

Passos...

Se eu te disser hoje,
como ontém...

E se ontém te abracei,
e te amei...

Se eu te sussurrar,

o que sinto e o que sonho...

E se amanhã te jurar que é isso tudo...
...e muito mais!







Hoje faz um ano
que demos mais um passo...





...hoje quero dar muitos mais
ao teu lado
!







Vamos?



:)

Thursday, February 25, 2010

Rememberance

Este blog tem já mais de um ano... cerca de ano e meio. Começou como um repositório de textos com sensações e sentimentos que queria deitar cá para fora... para examinar mais tarde, com outros olhos, com outra perspectiva.

Não gosto de todos, aliás... não gosto da maioria. À parte da qualidade da escrita, entre o inglês e o português, e a escrita que nunca foi o meu forte, as sensações nela descritas são negras, de revolta, umas de desejo ou solidão nuns casos, e ingénuas, infantis ou sem sentido noutros. Mas o que está dito, está dito, e neste caso escrito e exposto. E não há volta atrás.

Podia apagar os textos... um dia será inevitável, pois o blog não durará para sempre... mas por enquanto aqui ficam... para o melhor ou o pior... de mim, claro.

Mas algo ao longo deste tempo mudou. O tipo de texto, os sentimentos que transmitem, mudaram ao longo deste ano e meio... Diria que o ponto de viragem deste blog foi no dia 3 de Novembro de 2008, com o texto "Um Beijo!". Foi um texto criado no próprio momento em que foi publicado, como resultado de um telefonema. Marca um periodo de mudança na minha vida... momento tornado óbvio na leitura desse texto. Momento que guardo... na minha "Caixa de Memórias".

Depois desse, muitos se seguiram, com maior ou menor frequência... com maior ou menor intensidade no sentimento... mas tendencialmente mais positivos, ou mais... sentimentais pelo desejo que sinto... alguns até serão lamechas, mas são o que são.

Hoje fiz uma revisão... não gostei de tudo o que escrevi, mas senti tudo o que escrevi... todos são originais, fiz questão disso. Amanhã escrevo mais, e daqui a um tempo irei olhar novamente o passado e interpretar o que senti numa outra perspectiva, com outra experiência... e outras expectativas.

Espero não voltar ao tipo de textos do inicio deste blog... gosto muito mais da versão actual!... deste último ano e... desde Novembro de 2008.

Tuesday, February 23, 2010

A cada dia...

Como não te escrevo aqui faz quase 3 meses, queria só te dizer que nem por isso me sinto menos enamorado... nem menos amante... nem menos apaixonado...

...e que, muito pelo contrário... esses sentimentos apenas crescem e se moldam às circunstâncias, rodeiam obstáculos e contornam barreiras, ultrapassam dificuldades e encontram... sempre!.. a luz que necessitam para se manterem vivos e cheios de energia, como Glicínias ou Buganvílias.

A cada dia que passa sinto maior dificuldade em encontrar novas formas de expressar e fazer sentir... de transmitir o meu desejo... mas de vez em quando, e para que não me repita... surge uma nova forma, ou versão de alguma já utilizada... e te digo aquilo sem proferir aquela palavra tão pequena... e tão especial...

...e esse sentimento, simples na sua essência e complexo de exprimir e explicar, está lá... de raízes fortes e tronco sólido, a crescer a cada dia, para ti... para essa luz que o ilumina... com ramificações por onde der e puder... enchendo o espaço de uma beleza fantástica e única.

E assim... aqui fica a lembrança, a marca... a demonstração... do que não tenho aqui dito, mas sinto todos os dias.


:)

Tuesday, December 1, 2009

não sei....

.

Não sei como te diga...

Não sei como to transmita...
Não sei como te faça sentir o que sinto...
...fazer-me sentir o que sentes e...
...fazer-te sentir o que precisas!


Não sei... mesmo... não sei....
Sinto-me burro e inconsciente.
Sou um analfabeto... um insensível sentimental!

Não sei como dizer ou fazer... como tocar esse ponto sensível e imaginário...


Sei o que sinto... e pronto!
Que coisa mais individual e solitária!

Não sei como te diga....
Não sei como to transmita...
Não sei como te faça sentir o que sinto...
...nem sentir o que sentes...
Mas sinto e quero e desejo e preciso e exijo... e quero-te e desejo-te e ensejo por todos os momentos possíveis e imaginários... e nesses momentos, todos eles, só espero que sintas e desejes o mesmo que eu... nós juntos... nós mais... mais tudo aquilo que desejamos construir juntos, e que sonhamos todo os dias...





s.

Monday, November 30, 2009

Aqui....

.


...aqui só entre nós que ninguém nos lê:


EU AMO-TE!







;)

s.

Tuesday, November 24, 2009

Redemption

Há dias em que é difícil lidar com a saudade...
...e tentamos a todo o custo reduzir-lhe o impacto.

Por vezes, a única coisa que se consegue é aumentar o fosso.




Acho que vou voltar à minha caixinha de memórias...



s.